By

A obra-prima de Deus

Todo grande artista tem um especial apreço pelas suas melhores obras. Sente-se representado na sua criação, vendo nela seus dotes, sua personalidade.

Alguns adquirem uma tão grande relação com suas obras de arte que chegam a experimentar por elas um sentimento semelhante ao de um pai por seus filhos…

Às vezes acrescentam detalhes surpreendentes: Velásquez, pintor espanhol, é característico disso.

Las niñas – Velasquez (o pintor em destaque)

Após uma carreira brilhante, na qual pintou quadros famosos, por encomenda do Papa Inocêncio X e do Rei Felipe IV, retratou-se a si próprio na sua célebre obra Las niñas, que julgava ser o ápice de sua produção.

Imaginemos um pintor desejoso de criar uma obra de arte modelo, ponto de referência para todas as que produzisse. Contemplando-a, buscaria a inspiração para pintar as demais. Seria sua obra prima!

Tomaria todas as medidas para que a matéria-prima fosse da melhor qualidade possível: Bons pincéis, tela apropriada, tintas excelentes, etc.

Prepararia com esmero o ambiente, instrumentos e, sobretudo, sendo católico, rezaria pedindo inspiração. Procuraria dar tudo de si, tentaria manifestar todo seu dom artístico. Faria um como que espelho de si mesmo. Obviamente, quanto melhor fosse a qualidade do artista, mais bela seria a pintura.

Entretanto, se esse nosso pintor imaginário não fosse um simples mortal, mas o próprio Supremo Artista, Deus Nosso Senhor, que imagem grandiosa e bela não pintaria Ele?

De fato, Ele a pintou com todo o amor e carinho sua obra-prima entre as meras criaturas: Maria Santíssima, a imagem perfeita d’Ele próprio.

São Tomás de Aquino afirma que em todo o Universo apenas três criaturas saíram das mãos de Deus com o máximo de perfeição possível: a Humanidade santíssima de Jesus, a visão beatífica e Nossa Senhora. Todas as demais poderiam ter sido criadas de modo mais perfeito.

Maria é, pois, o modelo de santidade para todos os homens. É tão formosa que todas as demais obras criadas, comparadas a Ela, não são senão borrões: a primeira pincelada em sua formação foi mais primorosa que os últimos retoques nos mais excelsos Anjos e Santos.

(Adaptação de “A obra prima de Deus”, Humberto Luís Goedert, Revista Arautos do Evangelho, nº 16, abril de 2003, pp. 20-21. Para acessar a revista do corrente mês clique aqui

Ilustrações: Arautos do Evangelho, wiki, brfreepic

2 Responses to A obra-prima de Deus

  1. Rakel Hleminian says:

    Que bondade de Deus, nos dar como Mãe a sua propria Mãe. E que Mãe. Ajude ó mãe a sermos fiéis nesse mundo tão atrapalhado. Amém. Rakel (Kelita)

    • Adilson Costa da Costa says:

      Caríssima Kelita, que Mãe nós temos! A própria Mãe de Deus. De fato, devemos pedir muito e com confiança a Ela que nos faça inteiramente fiéis a tão boa Mãe e que se cumpra sua promessa logo: Por fim o meu Imaculado Coração triunfará!