By

O Divino mendigo

O Evangelho narra (Lc2, 41-52) e a Igreja contempla no quinto mistério do Rosário a perda e o encontro do Menino Jesus no Templo. Como foi possível um tão longo período – três dias — ficar o Divino Adolescente longe de Maria Santíssima e de São José? Se ao menos Ele tivesse dito o que ia fazer… Mas Jesus nada disse e motivou as afetuosas e aflitas palavras de sua Mãe Santíssima: Por que fizestes assim conosco? Eis que teu pai e eu te procurávamos cheios de aflição. Read More

By

Hóstias intactas, depois de ano e meio do terremoto

         Arquata destruída – Itália

Em 2016 a cidade de Arquata (Itália), foi destruída por um terremoto. A igreja de Santa Maria inteira veio abaixo e inclusive obras de arte ficaram soterradas e tudo nela foi dado   como perdido.

Transcorridos quase dois anos após a calamidade, uma equipe da Polícia Militar italiana especializada em bens culturais, comunicou que havia sido resgatado o tabernáculo da Igreja e o devolveu à diocese. Read More

By

Quando Jesus nasceu

Contemplando a cena do Nascimento do Menino Jesus, nossa atenção é, legitimamente , levada a fixar a atenção nEle. É Deus feito homem, e, para se fazer tal criou a sua própria Mãe. Era Ele a única pessoa que podia escolher a própria Mãe e por isso escolheu a Mãe perfeita. Para termos algo da ideia de quem é Nossa Senhora é muito esclarecedor o artigo de Dr. Plinio Corrêa de Oliveira a seguir.
.
.
.

 A GLÓRIA EXCELSA DE MARIA SANTÍSSIMA

Plinio Corrêa de Oliveira

Quando Nosso Senhor Jesus Cristo nasceu, houve uma alegria em toda a natureza, e esta se revestiu de um novo esplendor: os astros brilharam com mais intensidade, o ar tornou-se mais puro, as águas das fontes ficaram mais cristalinas, as plantas tomaram maior viço, os animais se alegraram e se tornaram mais saudáveis; os homens bons adquiriram mais esperança.

Por quê? Porque vinha ao mundo Aquele que, sendo o próprio Deus, ligara a Si todo esse conjunto por meio da natureza humana.

Ao olharmos a menor das pedras, a menor das plantas, o menor dos animais ou o menor dos homens, devemos pensar nisto: a natureza deles está, de algum modo, presente em Nosso Senhor Jesus Cristo e, assim, ligada a Deus, participando de sua glória no mais alto do Céu, no oceano de esplendor de santidade da Trindade Beatíssima.

UM ABISMO PREENCHIDO PELA SANTÍSSIMA VIRGEM

Contudo, o espírito humano, sequioso de ordem e de razoabilidade em todas as coisas, busca um ser que preencha o abismo infinito ainda existente entre Nosso Senhor Jesus Cristo e a mera criação: um ser tão próximo do Homem-Deus, que estivesse acima dos Anjos; mas que, sendo pura criatura humana, englobasse também todas as demais naturezas.

Esse ser é precisamente Nossa Senhora. Ela foi colocada numa altura insondável, e numa plenitude de glória, de perfeição e de santidade inimagináveis. Acima d’Ela está somente a humanidade de seu Divino Filho e a Santíssima Trindade.

Por um mistério também insondável, Maria Santíssima gerou virginalmente Nosso Senhor Jesus Cristo, permanecendo virgem antes, durante e depois do parto por ação do Espírito Santo, de quem Se tornou, assim, verdadeira Esposa.

A dignidade de ser Mãe do Verbo Encarnado, Esposa do Espírito Santo e Filha dileta do Padre Eterno A coloca, embora sendo uma criatura puramente humana, acima dos Anjos. Nossa Senhora é o grampo de ouro que liga a criação a Nosso Senhor Jesus Cristo. Posta no alto do universo, Ela contém em Si toda a beleza das meras criaturas.

(Trecho do artigo “A glória excelsa de Maria”, de autoria de Dr. Plinio Corrêa de Oliveira, transcrito na revista “Arautos do Evangelho”, nº 205, p. 26-27. Para acessar a revista Arautos do Evangelho do corrente mês clique aqui )

Ilustrações: Arautos do Evangelho, evagelhoplus-div, pixabay

 

By

As aparências enganam

Esse é um dito da sabedoria popular, tantas vezes confirmado no nosso dia a dia. Seria válido para quem tivesse a alegria e a graça de conviver com Jesus?

Mesmo com base nos Evangelhos as respostas podem ser desencontradas: para uns Jesus era apenas “o filho do carpinteiro”, para outros era o Messias tão esperado, o Filho de Deus.

O artigo do Mons. João Clá, Fundador dos Arautos do Evangelho condensado a seguir pode esclarecer o assunto. Read More

By

Confiança! Eu venci o mundo!

Nos dias conturbados em que vivemos, às vezes sentimo-nos como os Apóstolos na barca em meio à tempestade e, como eles, todo tipo de receio nos vem à mente. Esquecemo-nos, entretanto, que na nossa “barca” está Jesus e, se confiarmos, nada nos acontecerá, ou se acontecer Ele será o nosso Cireneu, ajudando-nos a carregar a cruz.

Certamente repetirá para nós: “Confiança, confiança”, como em várias passagens do Evangelho. Essa palavra divina, saída de seus lábios adoráveis, vibrante de ternura e de compaixão dissipará nossos temores por mais fundados que pareçam.

É no sentido de levar-nos à confiança que o vídeo abaixo está posto.

(clique na imagem)

 

Ilustrações: Arautos do Evangelho, pixabay.

By

Menino Jesus, vem!

Num dos países da Europa Oriental, ainda sob ocupação russa após a II Guerra Mundial, ocorreu um fato, na época muito comentado. Os anos passaram e o mesmo deve ter caído no esquecimento. Lembro-o aqui.

Read More