By

Novos consagrados a Jesus pelas mãos de Maria

A família de almas dos Arautos do Evangelho em Vitória teve a grande alegria de ver mais 75 pessoas consagrarem-se a Jesus pelas mãos de Maria segundo o método de São Luís Grignion de Montfort.

Em solenidade presidida pelo Pe. Orlando Kimura, EP, e depois de participarem do curso de preparação, esse novo grupo de consagrados vem juntar-se ao considerável grupo já existente.

São Luís Grignion ensina em seu Tratado da verdadeira devoção à Santíssima Virgem que, quanto  mais uma alma se aprofunda no conhecimento de Nossa Senhora tanto mais o será no de Jesus Cristo.

O próprio Deus escolheu esse caminho para vir aos homens, tornando-o então o caminho mais seguro para nós chegarmos até Ele. Caminho doce, suave, perfeito, que alcança mais alta glória no Céu!

Nossa Senhora é a verdadeira Porta do Céu, mas não somente por abri-la para nós, mas também por nos conduzir, iluminar, tornar a felicidade eterna ardentemente desejada e nos levar em seus braços cumulando-nos de alegrias e bênçãos. Senhora de Bondade imensa, de Santa Esperança que aos Céus nos conduz!

Sem dúvida, um grande sentimento de gratidão ardia nas almas que se consagraram e passaram degustar a suavidade do Senhor pelas especiosas graças que sua Mãe nos concede.

“De Maria nunca se dirá o suficiente”, dizem os Santos”. Por isso São Luís Grignion afirma: “Deus criou as águas e as chamou de mar, reuniu as graças e as chamou de Maria” (*). É sem dúvida nesse mar de graças  que se sentiram todos os neo-consagrados à Santíssima Virgem.

Para fechar com chave de ouro coroou-se a Imagem do Imaculado Coração de Maria em meio às palmas e júbilo dos participantes, rememorando a promessa de Nossa Senhora em Fátima: “Por fim meu Imaculado Coração triunfará”.

PRÓXIMO CURSO

No próximo dia 23 de setembro nova turma participará do curso de preparação para a Consagração. Você pode participar, inscreva-se clicando na imagem à direita da página.

 

(*) São Luís Maria Grignion de Montfort, Tratado da verdadeira devoção à Santíssima Virgem, Ed. Vozes, Petrópolis, 47ª edição, 2018, nº 23.

By

E eles foram…

“Deixai vir a Mim as criancinhas”. Nesta e em várias outras frases do Evangelho, Jesus externa um amor especial pelos pequeninos. Ele diz “Deixai-as vir a Mim”… e as crianças iam.

São comovedoras as passagens do Evangelho em que Nosso Senhor se refere às crianças. Nelas transparece o amor de predileção do Divino Mestre pela inocência. Também fica clara a beleza da inocência quando Jesus refere-se a quem os escandalizar: “Todo o que fizer cair no pecado a um destes pequeninos que creem em mim, melhor lhe fora que uma pedra de moinho lhe fosse posta ao pescoço e o lançassem ao mar! (Mc 9,42) Read More

By

Da confusão geral pode sair a solução?

No mundo em que vivemos, e no qual se multiplicam incessantemente os conflitos de interesses, nada há de mais comum que o desentendimento entre as pessoas. Este nasce da contraposição de visões das várias partes: um entende as coisas de um jeito, outro as entende de maneira diversa… A consequente falta de consenso pode resultar numa mera desavença, ou chegar até o homicídio.

Para harmonizar o desentendimento, é necessária ao menos a consideração de um objetivo comum, pois a conformidade quanto ao fim supera o desacordo quanto aos meios. Mas quando não há consenso nem sequer em relação aos objetivos, o embate é inevitável. Read More

By

“E o nome da Virgem era Maria”

Quatro dias após comemorar o nascimento de Nossa Senhora, a Igreja celebra o nome de Maria Santíssima.

O nome de Maria (Miriam, em hebraico) significa “Senhora soberana”. Segundo alguns pesquisadores, provém de Maryáh (do sânscrito), que quer dizer literalmente “a pureza, a virtude, a virgindade”.

Esta Senhora Soberana, àquela que é a pureza, a virtude, a virgindade, a Mãe de Jesus, a quem fomos confiados por Ele próprio: “Filho, eis aí tua Mãe” procuremos conhecer cada vez mais. Assista o vídeo.

 

Ilustração: Arautos do Evangelho

By

Fundamentalismo religioso? Não é o que pensa Ratzinger…

Considerando a crise religiosa e a confusão de doutrinas que imperam no mundo atual, uma ou outra vez, aqueles que buscam viver sua fé arraigados em Cristo e sua Igreja, são injustamente confundidos como fundamentalistas. Apresentamos, pois, como reflexão algumas considerações do papa emérito Bento XVI, pronunciadas na homilia da missa Pro Eligendo Romano Pontifice, em 18 de abril de 2005, logo após o falecimento de S. João Paulo II. Read More

By

Nossa Senhora Rainha

A Igreja louva duas atitudes aparentemente opostas, mas na realidade, complementares uma da outra: a aceitação dócil da verdade, ainda que não se conheça todas as razões e de outro lado, procurar as razões de ser daquela verdade.

Ambas atitudes são desejadas pela Santa Igreja, pois numa há um aceitar como o de um filho que atende o chamado da mãe, porque é mãe. De outro a do filho que, para mais amar, procura compreender as razões, ver os princípios nos quais se baseia a mãe.

Nesse 22 de agosto, dia de Nossa Senhora Rainha, vejamos uma das razões pelas quais a Igreja A intitula assim. Read More