By

O canto de Santa Cecília

O que levou o consenso católico a declarar Santa Cecília padroeira da música?

Cecilia era filha de cristãos, de uma das famílias mais ilustres de Roma no século III, época auge da perseguição aos católicos por parte dos pagãos romanos.

Os martírios eram o dia a dia na vida da Igreja, apenas superada pela atual perseguição espalhada pelo mundo. O próprio Papa lembrou disso recentemente: o número de católicos martirizados cada dia, atualmente, supera o de mártires dos primeiros séculos.

Cecília foi educada por uma católica, à qual deveu boa parte de sua formação religiosa. Os pais apoiavam tal educação com alegria, mas sendo Cecília ainda adolescente vieram a falecer.

Passou a viver com os tios, pagãos que levavam uma vida frívola e mundana. Incitavam Cecília a lhes seguir os passos, mas ela sempre sabia se esquivar e estar longas horas em oração, participando com frequência das Missas nas catacumbas.

Logo que pode, pediu para receber a Eucaristia, a qual lhe foi ministrada pelo próprio Papa.

CONVERTE O ESPOSO PAGÃO

Tinha feito voto de virgindade, pois queria seu coração só para Deus. Seus tios, porém, fizeram uma tal insistência que o Papa aconselhou-a casar-se.

Seu esposo, Valeriano, nobre como ela, admirava-a sobretudo pelas qualidades morais, pela vida modelar, se bem fosse Cecília muito formosa.

Logo após a cerimônia nupcial, Cecília explicou a Valeriano ter feito voto de virgindade e queria mantê-lo. Explicou de tal maneira imbuída pelo puro amor de Deus, que Valeriano pediu para ser instruído na fé católica, recebendo o Batismo e fazendo ele também voto de viver com Cecília como irmãos.

Descobertos pelos perseguidores, Cecília foi condenada a morrer numa fornalha, mas após um dia e uma noite, encontraram-na viva, ajoelhada e rezando calmamente.

O prefeito romano ordenou que fosse decapitada. Cecília ajoelhou-se expôs o pescoço e sorridente esperou o golpe. O carrasco deu-lhe três golpes de espada, sem conseguir degolá-la.

Uma multidão de cristãos invadiu o pretório. Cecília estava caída, com a ferida sangrando, mas viva. Pediu os Sacramentos e, enquanto os esperava falou aos circundantes com tal fervor que muitos pagãos se converteram.

O próprio Papa ministrou-lhe o Eucaristia e a Extrema Unção. Pouco depois, Cecilia, percebendo a chegada da morte fez seu último ato de fé: mostrava o dedo de uma das mão e três da outra, reafirmando assim sua crença em Deus Uno e Trino.

      Imagem com os restos mortais de Santa Cecília

Seu corpo foi colocado sob o altar onde o Papa celebrou a Missa naquela noite, costume este conservado durante muitos séculos: sob os altares ficavam as relíquias de mártires.

POR QUE PADROEIRA DA MÚSICA?

Na ata do martírio de Santa Cecília há esta frase: “Enquanto ressoavam os concertos profanos das suas núpcias, Cecília cantava, no seu coração, um hino de amor a Jesus, seu verdadeiro Esposo”.

Foi em honra desse hino de amor a Deus que santa Cecília foi sempre tomada como protetora da música.

 

 

Ilustrações: Arautos do Evangelho, gkrajl

2 Responses to O canto de Santa Cecília

  1. VÂNIA says:

    Muito lindo o voto da castidade tal qual Maria e José. Esse que é o verdadeiro amor!

  2. VÂNIA says:

    Belíssima história de castidade como Maria e José isso que é verdadeiro amor!

Deixe uma resposta