By

O Mestre está aqui e te chama

As imagens muitas vezes, eloquentemente, falam por si, sem dizer palavras. No entanto, quando acompanhadas de frases que se harmonizam com o que exprimem, tomam maior força de expressão.

É o que se dá com a imagem aqui reproduzida: o Altar do Sagrado Coração de Jesus com o Santíssimo Sacramento, na Igreja de Santa Cecília, na cidade de São Paulo. Acima do altar, uma frase do Evangelho, em latim: Magister adest et vocat te (Jo 11,28). Seu significado: O Mestre está aqui e te chama.

O que dizer da Imagem do Sagrado Coração de Jesus?

Conforme comenta o Prof. Plinio Correa de Oliveira, “Nosso Senhor Jesus Cristo, especificamente enquanto fazendo ver seu Coração aos homens, era a fonte infinita da qual emanava todo o bem… E nele realizam-se todas as perfeições e maravilhas de alma possíveis […] muito nobre e com um sorriso ligeiramente triste, mas imensamente convidativo, tocando com a mão no Coração e olhando para quem estava embaixo, com se dissesse: ‘Queres um lugar aqui dentro? Não Me aceitas? Olha que tesouro! Isto é para ti!’”.¹

O Santíssimo Sacramento, o amor incomparável… e o chamado

Mas este amor de Jesus, nosso Mestre, que nos fala tanto por meio de sua Imagem Sagrada, se realiza de forma infinita através deste milagre incomparável: o Santíssimo Sacramento. Ele próprio se dá em alimento a nós, nas Sagradas Espécies, Pão e Vinho Consagrados! Oh, maravilha!

No entanto, ao se dar a nós na Comunhão ele nos faz um chamado. Ele quer de nós que nos conformemos a Ele; termos presente, portanto, o quanto Ele detesta o pecado. “Nosso Senhor Jesus Cristo era profundamente incompatível com o pecado; e também com o pecado em mim também”.²

E continua o líder católico³: “Nosso Senhor me chama junto a Ele e me ama em todos os dias que me concede viver. Ainda que tenha a desgraça culposa de O ofender gravemente… Mas Jesus me chama para que eu me modifique. Se não me modificar, vou caminhando não na graça d’Ele… Nosso Senhor me dará a graça até o último instante. Se eu recusar, terei a rejeição eterna d’Ele…”.

Horror ao pecado, amor sincero, profundo e consequente a nosso Mestre, Nosso Senhor Jesus Cristo. Mas como fazer para termos repulsa ao pecado e adorarmos a divina intransigência com que Ele tem horror aos nossos pecados, ainda que pequenos e leves? Como nos aproximarmos d’Ele?

O Prof. Plinio nos dá a resposta: “Salve Rainha, Mãe de Misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve!… Há Alguém que é Mãe de Misericórdia e Advogada, com esta missão da parte d’Ele: tocar-me, comover-me, aproximar-me d’Ele e conseguir que Ele me perdoe. Alguém que une a minha imperfeição irremediável à celeste perfeição d’Ele! ‘Salve Rainha, Mãe de misericórdia!’ Se não fosse isso, eu desesperaria. Mas Ela é a nossa esperança”. 4

……………………….

¹ Plínio Corrêa de Oliveira. Diante do Sagrado Coração de Jesus. In Dr. Plinio, São Paulo, Ano XII. N. 135 (jun. 2009); p. 16.

² Plínio Corrêa de Oliveira. Duas influências. In Dr. Plinio, São Paulo, Ano XX. N. 233 (ago. 2017); p. 17.

³ Plínio Corrêa de Oliveira. Duas influências. In Dr. Plinio, São Paulo, Ano XX. N. 233 (ago. 2017); p. 17.

4 Plínio Corrêa de Oliveira. Duas influências. In Dr. Plinio, São Paulo, Ano XX. N. 233 (ago. 2017); p. 17.

Deixe uma resposta