By

Os Papas e a consagração a Nossa Senhora

O que pensam os Papas sobre a devoção a Nossa Senhora ensinada por São Luís Grignion de Montfort? Eis, entre muitas, algumas de suas atitudes.

O Papa Leão XIII beatificou São Luís Grignion e concedeu indulgência plenária a todos quantos fizessem ou renovassem essa consagração no dia 8 de dezembro, festa da Imaculada Conceição, e no dia 28 de abril, dia em  que a Igreja comemora São Luís Grignion.

São Pio X em duas oportunidades confidenciou que nele se inspirara para escrever a Encíclica Ad diem illum  e concedeu a “bênção apostólica a todos quantos leiam o Tratado tão admiravelmente escrito pelo Bem-aventurado Montfort”.(1)

Imagem de São Luís Grignion na Basílica Vaticana

Bento XV por ocasião do centenário da morte de São Luís Grignion “fez especial elogio ao livro da verdadeira devoção, por sua ‘suavíssima unção e solidíssima doutrina’”.(2)

Pio XI, elogiou a edição alemã do Tratado da verdadeira devoção e outras obras de seu santo autor.

Pio XII canonizou-o em 1947. A imagem de São Luís Grignion, como a dos principais Fundadores, foi colocada numa das colunas na nave central da Basílica de São Pedro (Vaticano). As imagens dos Fundadores nestes locais têm um profundo significado: os Fundadores são as colunas da Igreja ao longo dos séculos.

São João Paulo II foi além: consagrou-se a Nossa Senhora segundo o método de São Luís Grignion. Elogiou em diversas ocasiões o Tratado da verdadeira devoção e fez especial menção na Encíclica Redemptoris Mater.(3)

Ainda o mesmo Papa: “Houve tempo em que, de certa forma, pus em dúvida o culto a Maria, temendo que minha devoção a Maria pusesse em risco a supremacia do culto a Cristo. Foi então que me veio em ajuda o livro de São Luís Grignion de Montfort, o ‘Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem’. Nele encontrei resposta às minhas perplexidades: sim, Maria nos aproxima de Cristo, nos conduz a Ele.

Também de lá extraí o [meu lema] ‘TOTUS TUUS’ (Sou todo vosso)” (4)

 

 

(1) PÉREZ, SJ, Nazario. Introducción. In: SÃO LUÍS MARIA GRIGNION DE MONTFORT. Obras. Madrid: BAC, 1954, p.429).
(2) Idem, ibidem.
(3) SÃO JOÃO PAULO II, Redemptoris Mater, n.48.
(4) SÃO JOÃO PAULO II, “Dom e Mistério”, São Paulo, Ed. Paulinas, 1997, 2ª Edição, p.38.

 

(Os leitores que desejem uma visão mais completa deste importante tema podem acessar o artigo “Um livro profético”, na revista Arautos do Evangelho, nº 184, abril de 2017, p. 18-23. Clique https://drive.google.com/open?id=1ee_tiMaSnhFBdoPc_9XNZkWN-xe6nNP3

 

Ilustrações: Arautos do Evangelho, Gustavo Krajl, Wiki, Osservatore Romano.

One Response to Os Papas e a consagração a Nossa Senhora

  1. devanildo THOMAS BARBOSA says:

    Salve Maria.
    (Houve tempo em que, de certa forma, pus em dúvida o culto a Maria, temendo que minha devoção a Maria pusesse em risco a supremacia do culto a Cristo – João Paulo ll)
    Como João Paulo ll, há muitos católicos que poe em duvidas a sua fé em relação ao culto a Maria. Maria, em virtude de sua maternidade divina, pela qual Ela é, em sentido real e verdadeiro, Mãe de Deus. Maria Santíssima é digna de veneração não só por sua exímia e singular santidade, incomparavelmente superior à de todos os anjos e santos juntos. A Ela temos de venerar, também, por sua dignidade de Mãe de Deus. No curso de Consagração a Nossa Senhora, encontramos muitas resposta sobre Maria e amor que Ela tem nós.
    “Nosso Senhor Jesus Cristo veio ao mundo por meio de Maria e é também por meio
    d’Ela que Ele reinará no mundo”

    Em Jesus Maria e José
    Devanildo T Barbosa