By

São José, o patrono da boa morte

Na Quaresma, especialmente, somos admoestados maternalmente pela Igreja a refletir sobre os últimos acontecimentos que cada um de nós irá inevitavelmente provar: a morte, o juízo, e o Paraíso ou o inferno. Sim: a meditação nos Novíssimos nos estimula a praticar o bem e a evitar o mal!

É por isto que lemos na Imitação de Cristo, a propósito do primeiro dos Novíssimos: “Em todas as tuas ações, em todos os teus pensamentos deverias comportar-se como se tivesses de morrer hoje. Se tua consciência estivesse tranquila, não terias muito medo da morte. Seria melhor evitar o pecado que fugir da morte. Se não estás preparado hoje, como o estarás amanhã?”. ¹

Mas ao mesmo tempo em que meditamos na seriedade de nossa existência e na necessidade da perseverança final na amizade com Deus, temos a sua misericórdia a nos animar. E uma destas manifestações da bondade divina é justamente nos “presentear” com um auxiliar incomparável, para nos obter a graça da boa morte. Pensar em São José, rezar a ele, eis o grande meio para termos paz de alma e a virtude da confiança, sobretudo na hora derradeira.

Mas por que a Igreja deu a São José o título de “patrono da boa morte”?

O Prof. Plinio Correa de Oliveira faz uma reflexão piedosa, explicativa deste atributo de São José, importante para nossa vida de piedade:

“Ao lado de todas as glórias que se acumularam sobre ele, São José recebeu, já nesta Terra, um prêmio inestimável: é o patrono da boa morte”.

“Com efeito, dir-se-ia que ele teve um passamento de causar inveja, pois faleceu entre os braços de Nossa Senhora e os de Nosso Senhor, que o cercaram de todo o carinho e consolação na sua última hora.”

“Não se pode imaginar morte mais perfeita, com Eles ali, fisicamente presentes. De um lado, Nosso Senhor cumulava seu pai adotivo de graças cada vez maiores, à medida que a alma de São José continuava a se santificar nos derradeiros transes da agonia. De outro lado, Nossa Senhora lhe sorria com respeito, e procurava aumentar-lhe a confiança:

– Meu esposo! Lembra-se de que tudo se cumprirá. Coragem! Vamos para a frente!

Em determinado momento São José exala o último suspiro, e o Limbo se abre para a alma dele. Ali ficaria ele até o instante, entre todos bendito, em que a alma santíssima de Jesus, que morrera crucificado, desceu ao encontro daqueles eleitos, a fim de colocar um jubiloso termo na sua grande espera. Alguns – Adão e Eva, por exemplo – lá se achavam desde os primórdios da humanidade, aguardando durante milênios o Redentor que os levaria para a eterna bem-aventurança.” ²

E continua o grande pensador católico: “E o Messias veio. Podemos bem imaginar que toda a coorte do Limbo se reuniu em torno de São José para receber o Salvador. E que Este, tão logo ali se mostrou, resplandecente de glória, tendo perdoado e redimido o gênero humano, manifestou-se de modo especial a São José, como exclamando: ‘Oh! Meu pai!’”.³

Que estas palavras, cheias de veneração ao patrono da boa morte, nos inspirem a rezar com fervor constante e crescente a São José, para que nos obtenha a fidelidade agora a Jesus e Maria e a perseverança final, na hora de nossa morte. Amém.

……………………..

¹ Imitação de Cristo, 1,23,5-8, ed. T. Lupo, Citta del Vaticano In Catecismo da Igreja Católica. O sentido da morte cristã: n. 1014. 11ª ed. São Paulo: Edições Loyola, 2001, p. 286.

² Plinio Correa de Oliveira. Na coorte dos Santos, o primeiro abaixo de Nossa Senhora. Dr. Plinio, São Paulo, SP, ano 2, n. 12, p. 17, mar. 1999.

³ ______. Idem.

2 Responses to São José, o patrono da boa morte

  1. Francismayre Banderia says:

    Um texto esclarecedor repleto de belíssimas palavras cheias de significado.
    Realmente morte mais abençoada não poderia ter esse Santo Homem que dedicou sua vida a amar a Deus incondicionalmente cumprindo os desígnio.

    • Adilson Costa da Costa says:

      Muito bem observado. E nós temos o incomparável benefício de participarmos desta mesma graça da boa morte, rezando a São José com todo fervor e confiança. Que ele peça por todos nós a Jesus e Maria, e a Sagrada Família esteja espiritualmente presente na nossa hora derradeira. Assim seja.