By

Necessidade da devoção à Maria Santíssima, obra prima da Criação, por vontade de Deus – Resumo do Tratado (II)

Neste segundo artigo do Resumo do Tratado, consideraremos, junto com S. Luís Grignion de Montfort como Deus, mesmo não tendo necessidade da Santíssima Virgem, depois de tê-La criado quis começar e concluir suas maiores obras por meio dela. Da vontade divina é que decorre a necessidade da devoção a Maria.

CAPÍTULO I

Necessidade da Verdadeira Devoção a Maria

Com toda a Igreja confesso que Maria, sendo apenas uma simples criatura saída das mãos do Altíssimo, não é nada em comparação com a sua majestade infinita, visto que só Deus é “Aquele que é”.

Read More

By

São Filipe Néri: um conselho inusitado

Os Santos nos surpreendem algumas vezes nas manifestações de amor ao próximo. Animados de uma “misteriosa” alegria, a par de sofrimentos inenarráveis, em sua sede de almas, incansáveis, encontram eles “estratégias pedagógicas” para bem formar as pessoas e, com a graça, transformá-las. É o que vemos na vida de São Filipe Néri, este grande Santo nascido em Florença, na Itália, em 1515, fundador da Congregação do Oratório, na qual grupos de padres levavam vida comunitária mediante um regulamento e excelente orientação espiritual.

Conta-nos o Padre Francisco Alves, C.SS.R. este episódio, rico de ensinamentos, e, ao mesmo tempo, pitoresco.

Certa vez ouviu São Filipe Néri com muita paciência as lamúrias de uma senhora que se queixava amargamente, dizendo que seu marido todos os dias a insultava e ofendia com palavras péssimas. Logo que ela cessou de falar, disse-lhe o Santo:

Read More

By

“Deus quer estabelecer no mundo a devoção ao meu Imaculado Coração”

A devoção reparadora dos Primeiros Sábados do mês

Atendendo a um pedido feito pela Santíssima. Virgem, os Arautos do Evangelho vêm promovendo a devoção reparadora dos Primeiros Sábados do mês, conforme pedido da Santíssima Virgem em Fátima.

Como se deve praticar essa devoção, ensinada pela própria Mãe de Deus?

Read More

By

O Alfaiate

Foi com agrado, ou melhor com verdadeiro encanto que afinal chegou o único paramento que fazia falta em nossa capela da casa dos Arautos.

E era a tão esperada casula para ser usada nas solenidades em honra da Santíssima Virgem, a quem todos os Arautos do Evangelho temos uma devoção muito especial.

Ao retirar o envólucro deparei-me com a beleza da paramento — cuja fotografia está ao lado —… e com uma incógnita: havia num papel, a seguinte jaculatória artisticamente impressa:

Deus Pai, tende piedade de nós!

Procurei entender a relação entre ambas as coisas, e, só com a ajuda de outro arauto a encontrei.

— Deus Pai é o padroeiro dos alfaiates e costureiras – disse o arauto que manuseava a bela vestimenta sagrada.

E explicou porque os que são dessa insigne e imprescindível profissão escolheram um tão alto protetor.

Quando nossos primeiros pais foram expulsos do Paraíso, diz o Gênesis que “O Senhor Deus fez para Adão e sua mulher umas vestes de peles, e os vestiu” (Gn 3, 21).

Por isso os alfaiates e costureiras tem a Deus Pai como Protetor. E, convenhamos, poucas são as profissões que podem se orgulhar de terem tão excelso Protetor… e mais de seis mil anos de história…

E você leitor, lembra-se quem é o padroeiro de sua profissão?