By

Almoço beneficente: alegria que tem Deus no centro

Onde se encontra a maior felicidade nesta terra? Mons. João S. Clá Dias, EP nos traz a resposta: “A maior felicidade nesta terra encontra-se no convívio, quando este é respeitoso, nobre e elevado”. ¹

Esta afirmação encontrou sua especial realidade, no almoço beneficente realizado no domingo 19 do corrente mês de novembro, na Comunidade dos Arautos do Evangelho situada na Arquidiocese de Vitória Sim, o clima de alegria se fez presente com uma intensidade tal que, no dizer generalizado dos convivas, foi maravilhoso, marcante, inesquecível. Read More

By

A benquerença no convívio humano

Imagem do Sagrado Coração de Jesus, que pertenceu a Dona Lucilia

“O homem é um lobo para outro homem”. ¹ Esta chocante frase de Plautus talvez não nos cause tanta má impressão quanto a do filósofo Sêneca: “Tornei-me ainda mais cruel e menos homem, porque estive entre os homens”.² Como explicar que possamos ser um lobo para o próximo e tratá-lo com crueldade? Por que será que presenciamos a crescente falta de respeito, ou desprezo, e até mesmo a agressividade no trato com o próximo?

Com efeito, está na nossa natureza o desejo de nos relacionarmos. O trato com o outro nos é necessário, e nosso instinto de sociabilidade reclama o convívio. Mas esse instinto mal conduzido e desequilibrado degenera num relacionamento não raramente marcado por desastres que nos chocam. Qual a real causa das crueldades hodiernas existentes no trato humano?

Read More

By

Veneno milagroso

Lin, uma jovem chinesa, casou-se e foi viver com o marido na casa da sogra.

epois de algum tempo não conseguia adaptar-se: tinham temperamentos muito diferentes e o convívio ficava cada vez mais difícil. Lin tinha certos hábitos e a sogra por vezes perdia a paciência. As coisas foram piorando, e a vida tornou-se insuportável, sobretudo para a jovem.

Read More

By

Alegria sacerdotal

Nossa Senhora das Alegrias – Vila Velha

Com imensa alegria recebemos recentemente a visita do sacerdote arauto Pe. Wagner Morato, vindo de missões na África, onde a obra dos Arautos do Evangelho encontra-se em franca expansão.

Evidentemente já conhecíamos o Pe. Wagner, mas não tínhamos tido oportunidade de conviver com ele por alguns dias e confirmar o que Mons. João Clá inspira aos sacerdotes arautos: alegria, ânimo, acolhida sempre afável e inspiradora de confiança.

Read More

By

Agora, aplicar!

Chegamos do Curso de Férias. Cheios de bons propósitos, de ânimo, de coisas novas que conhecemos. Agora, aplicar!

Este fim de semana já serviu para isso.

Read More

By

Um convite à santidade através do convívio entre irmãos

Grupo dos arautos de Nova Friburgo e Vitória no Convento da PenhaDurante quatro dias os arautos de Vitória puderam experimentar uma das alegrias que nos encherá a alma por toda a eternidade no céu: o convívio.

Algumas almas tomadas pelo espírito prático de nosso século XXI podem se perguntar: “Mas o convívio? Algo tão sem graça e banal?”

Respondemos: “Sim, o convívio!”

Esse dom de Deus, que nunca foi tão banalizado quanto em nossos dias, podemos vê-lo claramente entre os primeiros cristãos “Vejam como eles se amam!”, e até dado como divino preceito “Amai-vos, uns aos outros, como Eu vos amei”.

Mas afinal que convívio foi esse que tanto nos alegrou?

O convívio entre irmãos de vocação.

Por ocasião dos festejos do carnaval fomos agraciados com a visita do Revmo. Pe. Lourenço Ferronato EP e mais 26 arautos da cidade de Nova Friburgo/RJ.

Nesses quatro realizaram-se diversas atividades em conjunto, entre as quais destacamos: as Santas Missas, onde participaram os familiares dos jovens aspirantes; uma escalada ao Morro do Moreno; natação no mar; jogos entre equipes; visita ao Convento da Penha e à Catedral Metropolitana e uma peregrinação até o Santuário de Beato José de Anchieta, na cidade que leva seu nome, a cerca de 100km de Vitória.

No jantar de despedida, um dos jovens de friburguenses, em seu “discurso” de agradecimento,  disse uma frase que resumiu e coroou estes dias abençoados: “Viver é estar juntos, olhar-se e querer-se bem”.

E isso serve de convite à reflexão, inclusive aos “espíritos fortes” de nosso século, essa singela verdade saída dos lábios de uma alma inocente: no céu passaremos a eternidade juntos, olhando-nos e querendo-nos bem.

Abaixo estão algumas fotografias registradas em diversos momentos da estadia.[Gallery not found]